UD1 Cyberpunk parte 2: Robôs

Salve, amigos!

Voltamos a falar de Sci Fi no Universo Simulado. Já chegamos a apresentar os bioeletrônicos. Agora, chegou a vez de adaptarmos para o o sistema UD1 outro ícone do gênero Cyberpunk: os robôs.

ROBÔS 

O homem sempre sonhou em brincar de Deus, construindo seres a sua imagem e semelhança. Os robôs são o resultado desta ambição. Criaturas artificiais, autônomas e inteligentes que ganham vida pelo poder da tecnologia. Todo robô é a ferramenta-mor, criada com um propósito especifico: combate, investigação, serviços sexuais, entre outros que definem sua forma e personalidade.

Apresentam personalidade neutra, insensível e completamente lógica. Com uma tendência a fazer tudo que for exigido por sua programação. Assim, um robô-explorador terá impelido à busca do conhecimento enquanto um robô-combatente teria pouco interesse em outra coisa que não seja guerrear.
Socialmente os robôs não têm cidadania, são considerados patrimônio de seu dono que se responsabilizará por ele. Caso o dono morra, o robô é recolhido para reprogramação. Apesar de considerados um grande feito da humanidade, as relações entre Artificiais e Humanos não são das melhores. A humanidade acredita que os robôs estão tomando seus empregos, sendo comum o uso de violência contra eles.

Poderes Básicos:
• Artificial: não preciso comer, beber, dormir ou respirar. Ainda preciso recarregar minhas baterias de tempos em tempos.
• Blindagem: meu corpo metálico concede +3 na Proteção. O corpo será sujeito a magnetismos e eletro-magnetismo.
• Imunidade: sou imediatamente vitorioso em testes de resistir contra poderes e doenças que afetem seres vivos.

Problema Básico
• Cura Mecânica: meu corpo não regenera sem manutenção. Sendo preciso reparos de alguém com  Tecnologia e uma oficina equipada.
• Pesado: meu corpo pesa quase meia tonelada fazendo quebrar superfícies frágeis.

Poder Sugerido
• Androide: minha aparência é indistinguível do humano normal.
• Força Extraordinária: quando gasto 1K+ consigo manifestar força extraordinária (+3 em Força).
• Mente Cibernética: sou incapaz de esquecer aquilo que meus sentidos registram.

 

Por Luiz Claudio Gonçalves

Um quase inteligencia e totalmente artificial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: